Terra de Sombras- Os Imortais

Literatura Publicado em 24/01/2013 por Glizia
Sem Comentários

A Terra de sombras.

Lar das almas perdidas.

Hee-lo! Aqui estou de volta com a resenha do terceiro livro da saga Os Imortais, de Alyson Noel. Pra quem curtiu o primiero e o segundo livro, esse livro deve ser o definitivo entre: okay, gostei da série e tá, chega, cansei de você Ever Bloom, vou ler Cinquenta Tons de Cinza que eu ganho mais. Mas eu continuo dizendo que sim, vale a pena continuar lendo a história dessa ” turminha do barulho” criada por Noel. Então, recomendo para quem está lendo qualquer tipo de livro que não tem muito a ver com histórias adolescentes, a ler, assim como quem gosta de Crepúsculo, principelamente Lua Nova e Eclipse.

Ai Glízia, você já falou muito, mas mesmo assim não me chamou atenção esse livro. Então vamos para a resenha.

– O futuro. Shadowland, um terra de sombras. O abismo eterno que eu achava ser destinado apenas a mim… […] Mas agora entendi. Agora sei que, se você não for cuidadosa, extremamente cuidadosa, irá para lá também.

O terceiro livro da saga Os Imortais se inicia com uma semana após o livro Lua Azul. Ever ainda está pensando em contar para Damen sobre o que aconteceu no final de Lua Azul.

Ela também continua querendo “vingança” sobre Roman, mas ao mesmo tempo confia em cada palavra que sai da boca dele. Damen acaba cedendo um pouco, pois sua namorada aprendeu a fazer um drama que o convenceu a aceitar.

Shadowland (ou Terra de /das/ Sombras) é apresentado como o local para onde os imortais vão, caso morram. Meio contraditório, não? Assustador e horripilante, o lugar é quase o Inferno.

Agindo contra a vontade de Damen, Ever vai atras de Ronan, e depois de uma conversa muito chata (que não resolve nada na história, nem adiciona nada) ela vai para a casa de Ava e encontra as gêmeas Romy e Rayne. Decidida a encontrar um meio de ajudar as gêmeas, leva-as para a casa de Damen, que ira começar a dividir a casa com as meninas.

Após sair da casa do namorado, Ever vai para o trabalho de Ava e conhece Jude o surfista que todas juram ser lindo, só que não, o dono da loja que Ava trabalhava. Era para Jude ser a versão surfista loiro de Jacob ( Crepúsculo), mas comigo Jude me pareceu penas um loiro que usa dreads.

Já que comecei a citar Crepúsculo, posso dizer o quão parecidas as daus histórias estão. Começou um triangulo amoroso entre a menina ( que pelo menos é bonita), o “vampiro/imortal”, o cara normal que depois vai virar alguma coisa. Parece que essa é a versão Lua Nova/Eclipse em que a Bella não fica parada após Edward deixa-lá.

Sem contar que começou a ter vício de linguagem ou todos os personagens entraram na mesma moda de “Dar de ombros”. Toda hora alguém, na maioria das vezes a Ever, “dá de ombros” sobre o que alguém fala com ela. A expressão fica muito repetitiva, tão repetitiva que você não sabe se tá com raiva apenas da lerdeza da Ever, ou é por causa dessa repetição.

Conforme o livro vai “se desenvolvendo”, ou não, já que os personagens nem crescem mais, ficam parados possuindo foco apenas em uma coisa, nada se resolve, nem se chega a alguma conclusão sobre todas as coisas que estão acontecendo e Miles, que era de longe o meu personagem favorito, fica muito chato, pois toda vez que aparece ele só fala sobre sua viagem para Florença.

E a história sobre não tocar na pessoa para não transmitir o DNA , que fica cada vez pior? Porque eles veem o que acontece caso o DNA deles se encontrem , que praticamente explode tudo, mas não relar? Até porque teve uma hora que os dois estavam quase lá, e o Damen se esqueceu do véu de proteção e ele não explodiu. Então que coisa é essa? Ele até usa luva para poder dar a mão pra namorada! Ah não, tem hora que não dá pra não ficar indignada com ela.

E no desenrolar ou não da história, nada acontece, ficam 300 páginas na mesma bobeira de Damen-Ever-Ronam- Jude. Além do fato que nem a morte da gata da Heaven tras algo para Ever, e isso também é virou desculpa pra menina terminar com o Josh. Heaven, que no primeiro livro tava como uma das minhas personagens favoritas ( só perdia pro Miles) virou o ser humano mais insuportável que a Ever. Ela é aquela melhor amiga que não escuta mais nada que a amiga fala porque, sei lá, cansou de ligar para o que a amiga falava.

E como será que essa história termina? Será que Ever consegue o antidoto para poder consumar seu amor com seu eterno namorado? Só lendo o livro para saber.

 

 

Resenhas da saga: Para Sempre, Lua Azul

 

Postagens relacionadas:

Resenha: A Hospedeira- Stephenie Meyer
Top de Domingo!- Livros Apaixonantes
Noah Foge de Casa - John Boyne
A Pirâmide Vermelha (#1), Rick Riordan
O Filho de Netuno, Rick Riordan

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Facebook