Quantos livros você leu ano passado?

Literatura Publicado em 03/03/2017 por Glizia
Sem Comentários

O motivo desse post é que em 2015 eu fiz um post falando sobre como as nossas leituras deveriam ser qualitativas e não quantitativas, e o pontapé inicial foi a notícia de uma garota que falou que queria ler 500 livros em um ano. Como nessa época era difícil eu acompanhar tudo tão à risca quanto está sendo esse ano, em 2016 eu não vi nenhuma reportagem dizendo se ela tinha ou não completado essa meta de leitura. Fiquei curiosa porque eu queria saber a lista de livros dela, mais por curiosidade do quê ela teria lido, e não por julgar suas leituras.

Novamente me vejo escrevendo um post sobre como números parecem ser importantes. Então peço que, caso você não tenha lido aquele texto, leia ele e depois volte aqui, para continuar com a linha de raciocínio.

Eu tinha criado a tag Seje Menas como uma forma de me expressar sobre esses assuntos envolvendo a leitura e cheguei a escrever um texto falando sobre “Essa coisa de não poder amassar um livro“. Depois disso eu parei porque me achei muito problematizadora. Mas então algo aconteceu.

Eu coloquei como meta no Goodreads ler 100 livros esse ano, que é o dobro do que eu normalmente lia em época de faculdade. Então agora que eu não tenho desculpa alguma para não ler mais, quero me forçar a ler o máximo que conseguir. É aquela história:  você termina a faculdade e então se vê com mais tempo livre do que imaginava. Então eu quero gastar esse meu tempo lendo.

Veja que se eu chegar no final de dezembro com 60 livros já terá sido um grande avanço para mim. Mas seguimos firmes e fortes à todas as nossas promessas de ano novo que nunca completamos, então essa é apenas mais uma dessas promessas que eu me faço.

A tag Seje Menas (que, na época que escrevi isso, era a frase meme do momento) serve como um espaço para refletir sobre as coisas que nos rodeiam, e eu comecei com livros, porque é o que me sinto mais confortável para falar sobre, mas se preparem que outros assuntos virão pela frente.

E depois de ler tudo isso, você já parou para pensar em quantos textões no facebook você leu hoje? Em quantos artigos do BuzzFeed você clicou hoje? E esse texto? Notou que leu até aqui?

Se eu te perguntar quantos livros você leu ano passado, você pode me dizer qualquer número, e sentirá que é um número muito baixo. E pode ser um ou cens mil, você vai pensar que deveria ter lido mais. Só que você não conta quantas reportagens você leu ano passado. Ou quantas fanfics você leu em um mês. Ou quantos textos no Facebook você compartilhou.

As pessoas esquecem da aula de Gêneros Textuais frequentemente, e então comentam comigo como me acham incrível por ler, veja só, um número que é alto para elas, mas extremamente baixo para mim, de livros por mês ou por ano. Texto não é só livro, o texto corrido. Nós temos textos em todos os lugares, de todas as formas, basta querer se comunicar.

Eu me peguei pensando sobre isso quando uma das minhas irmãs comentou que ainda estava lendo um livro sobre o Bill Clinton, e que estava longe de terminar cedo. Porém, toda vez que nos encontramos, ela tem algo de novo para comentar sobre o que está aprendendo sobre política lendo esse livro. Então você acha que eu julgo que ela não lê muito? Gente, eu acho isso maravilhoso.

Enquanto isso vocês acham incrível uma pessoa querer ler 500 livros em um ano.

Postagens relacionadas:

Meg Cabot anuncia sequencia de A Mediadora
Mais um filme para 2014! - A Menina que Roubava Livros
Por trás do Choconatos #3
O que esperamos de Nov/2014?
Caixa de Pássaros | Resenha

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Facebook