O Herói Perdido , Rick Riordan

Literatura Publicado em 24/10/2014 por Glizia
Sem Comentários

Mais uma sexta feira chegou, ( Faltam 10 sextas para o ano acabar) e hoje eu vou começar a contar para vocês a história de uma das melhores séries que eu tive o prazer de conhecer : Os Heróis do Olimpo. E, lembrando lá de 2010 quando saiu O Herói Perdido, eu não levava fé dessa série, já que normalmente quando trazem novamente histórias de personagens muito poderosos, alguma coisa não acontece da mesma forma que antes, e acaba virando um conteúdo um pouco ruim. E foi aí que eu quebrei minha cara.

Nesse novo livro Jason ( mas quem é Jason? Heróis do Olimpo não é sobre Percy Jackson? Esperem, tudo será explicado) acorda em um ônibus escolar com mais duas pessoas, Leo e Piper, que dizem ser seu melhor amigo e sua namorada. Porém o menino não se lembra de0 nada, nem de como foi a sua infância, muito menos das pessoas próximas dele, principalmente essas duas. E logo que ele acorda eles são atacados por monstros.

Tio Rick muda o personagem principal mas nem muda a forma que narra a história. Herói se apresenta. Herói descobre alguma coisa. Aparece um monstro. Herói descobre que é um semideus. Tem hora que isso me irrita, mas depois passa porque eu gosto tanto dessa série que não consigo ficar brava com algo.

Bem, então Annabeth  aparece, dizendo estar a procura de alguém, e que tudo levava a crer que esse alguém estaria ali, naquele lugar, naquela hora. Também conta que essa pessoa desapareceu no mesmo dia que Jason conheceu Leo e Piper. Ela leva-os para o Acampamento Meio Sangue, e lá descobrem que existe uma nova missão, a de resgatar Hera, onde quer que ela esteja.

Uma coisa que eu ADOREI ( e sim, em caixa alta para dar uma ênfase gigante) nesse livro, foi que a trama dos semideuses está muito mais próxima com os olimpianos. Então o tempo todo, em todas as narrativas, os filhos estão descobrindo alguma coisa sobre seus pais, algum segredo que irá ser útil em um momento. Eu gostei muito disso, me pareceu uma forma muito diferente de mostrar o que está acontecendo.

Eu não consigo contar muita coisa da história sem parecer que é um grande spoiler muito importante para a leitura, tem muita coisa sendo perguntada e respondida ao mesmo tempo, coisas que até nós, fãs da série que estão felizes dela ter voltado, estamos fazendo. E aí vem a maior pergunta do livro: Onde está Percy?

Outra coisa que adorei ( e isso também acontece em O Filho de Netuno) é que são apenas citados os personagens do livro passado. Então quando falam de Percy, ninguém sabe muito bem o que aconteceu em Percy Jackson e os Olimpianos, só ” foi uma guerra foda”. E dá aquela vontade de falar: amigo, senta aqui que eu vou te contar quem é esse semideus que você não está dando tanta importância.

O final do livro é surpreendente. Entendemos o porque do sumiço de Percy, a perda de memória do Jason e já pensamos na profecia que todos estavam esperando que deu um grande “quê” para esse final.

O livro não tem mais uma narrativa fixa em um personagem, agora temos três personagens que o narrador, em terceira pessoa, conta o que está acontecendo de acordo com a visão deles .

Por que eu recomendo o livro: primeiramente porque se eu não recomendasse não seria eu. Eu amo Percy Jackson, tendo uma receita ou não, e isso já me faz querer que todos leiam. Segundamente porque é a volta do Acampamento Meio Sangue. Terceiramente porque esse livro é muito bom mesmo, você fica preso do começo ao fim se perguntando o que vai acontecer e quando vê, puff, terminou de ler o livro.

Esse é o grande problema: Terminar esse livro rápido significa estar mais próximo do final, e, apesar de tudo, ainda não sei se estou preparada para que acabe.

O Herói Perdido é o primeiro livro da série Os Heróis do Olimpo, escrito por Rick Riordan. Antes dessa série foi publicada a Percy Jackson e os Olimpianos, aqui no Brasil, pela mesma editora da nova série: Intrínseca. O Primeiro livro foi lançado em 2011.

 

Postagens relacionadas:

Top de Domingo!- Livros que estão atrasados
A Marca de Atena, Rick Riordan
Fahrenheit 451, Ray Bradbury
A "Survivor" Clarice Falcão e seu cover
Luz em Agosto, William Faulkner

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Facebook